terça-feira, 28 de abril de 2020

O que é amar a Deus e aos filhos de Deus?


"Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e praticamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; ora, os seus mandamentos não são penosos, porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?." 1 João 5:1-5

Introdução:

Em uma época de falsos valores, aonde tudo se torna relativo para as pessoas do corrente século, precisamos buscar na Palavra de Deus o verdadeiro significado do "AMOR". Em 1 João 4:8 diz que "Deus é amor".

A maior prova desse amor está em João 3:16:

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."

 

Tipos de amor: Eros, Phileo, Storge e Ágape

 

O amor Eros (termo grego), expressa a idéia de um sentimento de prazer entre um homem e uma mulher, desejo carnal, sensual e sexual, daí a palavra erótica. Não significa, necessariamente, que seja ligado à pecaminoso, mas no sentido de prazer e satisfação carnal.

 

O amor Phileo pode ser entendido como sendo um sentimento de amizade, carinho, simpatia profunda por alguém, um sentimento profundo do coração. Dá a idéia de companheirismo, uma afeição que alguém tem em andar com outra pessoa, o prazer e a satisfação de andarem juntos e fazerem coisas juntos, ligados na alma.

 

O amor Storge (termo grego que não aparece na Bíblia), traz a idéia de um amor familiar, entre irmãos, que demonstra carinho ou afeição, por exemplo, no relacionamento entre pais e filhos ou entre os próprios irmãos em Cristo. O termo Philadelphia ou Philos, designa o amor entre irmãos.

 

O Amor Agape é o amor puro e genuíno! Este amor é descrito em 1 Coríntios 13. É um amor que não busca os seus próprios interesses ou prazer. Não é um amor sentimental, inconstante, ou que depende de uma atitude. É um amor que não esmorece, não acaba, é forte, permanente, constante benigno, paciente, sacrificial. Não é egoísta, não é indecente, não é impuro ou leviano. Este amor não provém do homem, mas de Deus. É só através do Espírito de Deus que alguém pode ter o amor Ágape. E só as pessoas que confessam a Jesus como Senhor e Salvador podem receber o amor Ágape.

 

Quando vemos muitas pessoas sendo premiadas com o prêmio Nobel da Paz por terem realizado muitos feitos em favor da paz, da humanidade, fazendo o bem e livrando milhares da morte, podemos dizer que este é o amor Philos, um amor e compaixão pela humanidade. Mas ainda não é o amor Ágape.

Com que tipo de amor você ama a Deus ou aos filhos de Deus?

 

Para responder a esta pergunta, precisamos nos avaliar primeiro. Pessoas que vivem apenas para satisfazer aos seus prazeres, irão se aproximar de outras com esta intenção.

 

Pessoas que vivem se alimentando do amor Eros, se aproximam de outras por interesse sexual, egoísta e carnal.

 

Pessoas mais equilibradas emocionalmente, podem, por exemplo,  se aproximar de outras com o desejo ou a intenção de fazer o bem, construir uma amizade em um relacionamento ganha-ganha, aonde ambos são abençoados através de uma amizade longa e duradoura, trazendo muitos benefícios.

 

Mas o amor que Deus nos chama a praticar, é o amor que provém Dele, o amor Ágape. E só poderemos amar os irmãos, os filhos de Deus, quando decidirmos praticar os seus mandamentos, e através desta decisão, provamos que amamos a Deus. Amar a Deus é praticar os seus mandamentos. Não é um sentimento religioso. Amar a Deus é guardar os seus mandamentos e praticá-los. Negar a si mesmo não deve ser algo difícil para alguém que fortalece a sua fé na Palavra, pois esta é a vitória que vence o mundo e vence a sua própria vontade carnal: a nossa fé. A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. E ouvir e guardar a Palavra de Deus nos liga ao amor de Deus, através de Seu filho Jesus, o Verbo Eterno, ou seja: a Palavra de Deus. Vivamos o amor Ágape sempre. Os outros tipos de amor têm o seu lugar, o seu tempo e modo. Mas o amor Ágape permanecerá para sempre.

 

 

No amor de Jesus Cristo,

 

Filipe A. Espindola

E-mail: espindola.filipe@gmail.com

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Apostasia nos últimos tempos!

Saudades de congregar, de celebrar com todo o povo! Ouve Senhor, o meu clamor!
Saudades de congregar, de celebrar com todo o povo! Ouve Senhor, o meu clamor!

“Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência...” 1 Timóteo 4:1-2

“Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição.” 2 Tessalonicenses 2:3

Introdução:

Quando buscamos o significado de Apostasia encontramos os seguintes resultados:

- No Hebraico (“המרד ”) significa: Rebelião.

- No grego antigo (a·po·sta·sí·a) significa: apartar-se de. Tem o sentido de desertar, abandonar, rebelar-se, ou levar pessoas a fazer o mesmo, abandonar a fé, os princípios e tudo aquilo que dizia acreditar.

 Fake News x Verdade

A Palavra de Deus tem uma resposta para cada situação do dia a dia que muitas pessoas, por não se dedicarem a estudar as escrituras, acabam esquecendo, ou simplesmente, ignorando. Tudo o que estamos vivendo nos dias de hoje, está diante de Deus que está na eternidade e que nos alertou em Sua Palavra destes tempos do fim. Muitos preferem seguir os profetas das Fake News, outros preferem seguir os profetas filosóficos, outros preferem seguir os profetas do prazer e do hedonismo, outros preferem seguir as sugestões da intuição pessoal, ou seja, do coração enganoso. Mas nós que meditamos na Palavra de Deus não podemos, em hipótese alguma, nos deixar levar por qualquer vento, por qualquer modismo, por qualquer teoria, conhecimento ou notícia que carregue meias verdades. Somos guiados pelo Espírito de Deus, e somente Ele.

Como podemos identificar a apostasia?


O caminho da apostasia no coração do homem é sutil.
No início da caminhada cristã, o crente ouve o seu pastor, atenta para o que diz o seu pastor, está muito presente nas reuniões da igreja, participando, contribuindo, orando, se santificando. Mas de repente, conhece alguém na igreja que diz: Não é bem assim o que o pastor fala. E esta pessoa instala a dúvida no coração do novo convertido.
Outras pessoas, passam a ouvir outros pregadores na internet sem ter a mínima condição de avaliar se tal pastor ou igreja prega o evangelho da verdade, se a doutrina que está sendo ensinada é a sã doutrina, se a vida daquele pastor tem testemunho digno de um homem de Deus, etc.

E ao buscar muito conhecimento, começam a ouvir pastores se contradizendo. Um diz uma coisa, outro diz outra. Um diz que perde salvação, outro diz que não. Um diz que pode casar e divorciar, outro diz que não. Um diz que pode batizar criança, outro diz que não.

E ao ouvir tantas opiniões diferentes, ao ouvir pessoas inclusive falando mal de pastores, falando mal da sua própria igreja, decide então, viver uma religião de auto-suficiência, dependendo apenas de si mesmo. Não acredita na Palavra de Deus única e simplesmente, não aceita se submeter a um pastor, não aceita um discipulador, discorda da forma da reunião e acha que faria melhor. Se irrita com um irmão por não ter dado certo o negócio que tinham juntos. Começa a reclamar da temperatura do ar-condicionado, da cor do tapete, da limpeza dos banheiros, da voz do pastor, etc.., e tudo é motivo para murmuração.

Esta é a estrada da apostasia. E muitos não percebem.

Mas Jesus disse aos seus discípulos em Mateus 18:2: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”

A criança (de pais ajustados, é claro) aceita com humildade, prontamente, se submetendo e com um coração humilde. Assim devemos nós viver. Muitos não perdoam pessoas da própria família: como poderão se tornar como crianças? Como poderão ser perdoados por Deus?

Muitos não vivem os princípios elementares da Palavra. Mas querem ser mestres no meio da Igreja. Muitos não conseguem governar a família, mas querem governar a Igreja do Senhor. Muitos não aprenderam a se submeter ao seu pastor, mas querem assumir cargos e liderança na igreja. E estas são portas abertas para a apostasia.

Conclusão

Seja humilde, seja como criança, se deixe governar pelo Espírito, através dos pastores que o Senhor colocou na sua vida. Se for mulher, seja submissa ao seu esposo; se for filho, seja submisso aos pais. Se for adulto, seja submisso ao Senhor e viva em submissão aos irmãos e uns aos outros. Mansidão e Humildade: dois atributos de ovelhas do Senhor, de quem é movido pelo Espírito.
O Caminho da apostasia dá lugar ao ego, às razões e motivações pessoais. A submissão e a obediência é o caminho apertado, estreito, mas que leva a salvação.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Por que Deus prova seus filhos?

“Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.” Tiago 1:2-4

Introdução:

A perseverança é uma virtude que precisa ser desenvolvida, trabalhada, praticada! Mas o motivo pelo qual Deus prova os seus filhos, não é apenas a perseverança, mas tem outros objetivos e propósitos na visão de Deus, que é um Pai que ama seus filhos.

Teste de Fogo

Assim como uma faca ao ser fabricada precisa ser forjada no fogo, na água, nas batidas com martelo, esmerilhadora, até tomar a forma perfeita, e isso várias vezes, a fé precisa passar pelo mesmo processo através de várias provas:

1.    Prova do Amor (Deuteronômio 13:1-3): Quando conhecemos a Deus e recebemos Dele muitas bênçãos, libertação, restauração e cura, passamos a experimentar logo no início de nossa caminhada com ele o primeiro amor, cheio de ânimo, de paixão, de intensidade. Mas na medida em que o tempo passa, o fogo da paixão apaga ou diminui, as dificuldades da caminhada aparecem e aqui começa o teste do amor que dizemos ter em relação a Deus.
Se o amor é ágape, vai permanecer! Se o amor que temos por Deus provém de conhecer a Deus, que cresce para uma intimidade com Deus e se desenvolve para o nível de entrega total a Deus, resultando em obediência a Deus, esse é o amor ágape!
Se o amor é fileo ou eros, ou seja, da alma, ou dos prazeres, este é o amor do interesse pessoal, da satisfação pessoal e não, da entrega total. Esse amor dura enquanto durar a fonte de satisfação. É um amor que não tem sustentação e não resiste ao fogo, ao frio, às dificuldades, não resiste ao tempo.


2.    Provar e Sondar o coração (Deuteronômio 8:1-6): Deus leva o seu povo ao deserto para livrá-lo da escravidão do inimigo. Faz vários milagres (bênçãos) que rapidamente passam. Mas a caminhada no deserto que poderia ter sido feita em 40 dias, leva 40 anos, por causa da murmuração do povo. O povo não passou na prova. Deus leva o povo ao deserto para humilhar o povo e saber o que saía de dentro deste coração quando provado. Deus pode humilhar? Sim, Deus faz isso a filhos que ama, para vê-los crescer, libertá-los de vícios, abandonar ídolos, fazê-los entender que a correção e a disciplina de Deus geram tristeza que produz vida! Deus permite o povo sentir fome, mas nunca o deixou morrer de fome ou ter que mendigar comida. Mas Deus permitiu terem fome para que entendessem que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus.

3.    Orar e Meditar na Palavra de Deus (Salmos 1:2-3): Ore enquanto lê a Palavra de Deus. Muitos estudam a Palavra, lêem a Palavra e até memorizam a Palavra, mas se não houver oração, tudo o que conseguiram é um amontoado de conhecimento, de sabedoria, mas que não tem vida. Lembre-se que Paulo ensina que “o saber ensoberbece” (1 Coríntios 8:1). Lembre-se que Salomão, apesar de toda a sabedoria que recebeu de Deus, destruiu a sua vida por causa da soberba do conhecimento e cometeu imoralidade e idolatria que o fizeram terminar mal (1 Reis 11). Meditar é estabelecer uma vida equilibrada de leitura da Palavra e oração, numa conversa aberta e sincera com o teu Pai que te criou, através de Jesus, todos os dias, várias vezes ao dia.

4.    Provar a Fé e o Temor a Deus (Jó 1 e 2): Jó era um homem próspero, mas Deus permitiu que ele perdesse tudo e, ainda, perdeu a sua saúde! Foi acusado injustamente por seus amigos e abandonado por muitos deles. Sua esposa chega a sugerir que ele amaldiçoasse o seu Deus e morresse. Mas apesar de tudo, de todo o sofrimento, de toda dor, do abandono, das acusações, das chagas, das enfermidades, ele nunca pensou em abandonar a Deus. Pelo contrário, passou pela provação. Mais ainda, Deus muda a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos acusadores ( Jó 42:10). Deus deu o dobro de tudo o que ele possuía, pois Deus não queria a pobreza de Jó, mas queria provar a sua Fé, o seu temor, o seu coração. Jó foi aprovado.

Você ama a Deus em que nível? Já foi provado por Deus e aprovado? Filhos bastardos não tem correção, são livres para fazerem o que quiserem. Você se permite ser corrigido, educado e até humilhado e provado por Deus, através de homens fracos e falhos como pastores, pais espirituais ou líderes diversos? Pense nisso!

No amor de Jesus Cristo,

Filipe A. Espindola

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Diligência no Crescimento Espiritual!

“Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros.” 2 Timóteo 2:1-2

Introdução:

Se queremos desenvolver a nossa vida espiritual precisamos estabelecer alvos! Com muitos alvos ou alvos mal dimensionados podemos nos sentir impotentes e desistir no meio do caminho. É bom lembrar que temos uma aliança com Cristo, e isto implica em responsabilidades diárias como discípulos de Jesus. Significa que praticar as disciplinas espirituais, abaixo descritas, não é uma opção, mas um dever de cada um e precisamos ser diligentes em praticar estas disciplinas.

Paulo ensina a Timóteo que “o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas.” Da mesma forma, o discipulador não será bem-sucedido em formar discípulos (ainda que existam outras variáveis na formação de um discípulo) se não conhecer as regras estabelecidas pela Palavra de Deus para ser um discípulo.

Estabeleça estas práticas na sua vida pessoal e seja sincero consigo mesmo e para com Deus.

Alvos para Disciplina espiritual

Nenhum atleta recebe o prêmio se não tiver domínio sobre si mesmo nas suas práticas diárias de exercício, dieta controlada, sono, domínio próprio, etc.. Todo aquele que é seguidor de Jesus deve, diariamente:

1.    Ler a Palavra de Deus (Apocalipse 1:3): Alimentamos o nosso corpo físico diariamente, várias vezes ao dia, e não tiramos férias de nos alimentarmos pois isto nos fortalece, nos dá prazer, nos mantém vivos e saudáveis. Da mesma forma, temos um corpo espiritual que precisa ser alimentado. Se não levarmos isto a sério, vamos adoecer. E pior ainda, se nós adoecemos, contaminamos o corpo. Por isso, não é uma opção para você ou para o discípulo LER A PALAVRA DE DEUS, se é que você deseja ter saúde espiritual.

2.    Ouvir Palavra de Deus (Romanos 10:17): Sem fé é impossível agradar a Deus! Ora, se a fé vem pela pregação da Palavra de Deus, você precisa congregar. Deus instituiu pastores mestres (que devem manejar bem a Palavra de Cristo) para cuidar do rebanho. Se você é ovelha, reconhece a voz do pastor que Deus colocou na sua vida. É através dele que o Senhor vai te edificar para crescimento. Há uma multidão de pessoas se alimentando de mensagens na internet, recebendo todo tipo de alimento (imagine seu filho, comendo na casa de todos os vizinhos). Isso não é bom. Você congrega em uma igreja que Deus te colocou, que prega o evangelho da verdade e é fiel aos princípios da Palavra. É daí que sai o teu alimento, pois o teu pastor sabe (por revelação) o que você precisa ouvir. Ouça a voz do seu pastor e você estará seguro. Ouça outras vozes e você pode corre sérios perigos e pode cair em várias armadilhas, naufragando na fé.

3.    Orar e Meditar na Palavra de Deus (Salmos 1:2-3): Ore enquanto lê a Palavra de Deus. Muitos estudam a Palavra, lêem a Palavra e até memorizam a Palavra, mas se não houver oração, tudo o que conseguiram é um amontoado de conhecimento, de sabedoria, mas que não tem vida. Lembre-se que Paulo ensina que “o saber ensoberbece” (1 Coríntios 8:1). Lembre-se que Salomão, apesar de toda a sabedoria que recebeu de Deus, destruiu a sua vida por causa da soberba do conhecimento e cometeu imoralidade e idolatria que o fizeram terminar mal (1 Reis 11). Meditar é estabelecer uma vida equilibrada de leitura da Palavra e oração, numa conversa aberta e sincera com o teu Pai que te criou, através de Jesus, todos os dias, várias vezes ao dia.

4.    Memorizar a Palavra de Deus (Salmos 119:11): Quantas vezes você ouviu uma propaganda, uma música, um jingle que, de tanto repetir fez você memorizar. De tanto andar em alguns ônibus-lotação, eu memorizei algumas músicas que repetiam todos os dias. E músicas que eu não gosto. E se aprendemos coisas erradas, por repetição da mídia como: apelo ao consumo, novelas, filmes com excesso de palavras torpes, músicas e outras carnalidades, será que acreditamos realmente que a Bíblia é a Palavra de Deus e que, aquele que “beber desta água” (Jesus, o verbo, a Palavra de Deus) jamais terá sede, jamais terá fome? Memorizar é repetir, repetir para não esquecer, repetir para afugentar o inimigo, repetir para destruir os sofismas da mente.

Se você quer ser um discípulo de Jesus e gerar discípulos de Jesus, esta deve ser a tua prática diária prioritária: Amar a Jesus é amar os seus ensinamentos, guarda-los no coração e praticá-los. Isto significa AMOR (1 João 5:1-3).

TEMA DE CASA: Marque na sua agenda: Prioridade Máxina: Tempo a sós com Deus! O espiritual vai ser prioridade em minha vida em 2020. Preste contas ao teu discipulador ou peça a algum amigo para pedir a você prestação de contas nestes alvos.


No amor de Jesus Cristo,

Filipe A. Espindola

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Brechas por onde a benção se esvai!

“Ora, pois, assim diz o SENHOR dos Exércitos: Considerai o vosso passado. Tendes semeado muito e recolhido pouco; comeis, mas não chega para fartar-vos; bebeis, mas não dá para saciar-vos; vesti-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para pô-lo num saquitel furado. Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Considerai o vosso passado.” Ageu 1:5-7

Conta as bênçãos, conta se é que podes, conta quantas são, como diz o Hino! A verdade é que somos muito abençoados. Mas, infelizmente, muitos, ou quase todos, perdem as bênçãos recebidas! A maioria nem percebe que a benção se esvai; quanto mais perde, mais trabalha para conter as perdas. Mas será esta a melhor solução?
Existem várias razões para perdermos as bênçãos recebidas. Vou citar algumas.

1)  Pecado por não valorizar a Obra de Deus

O pecado de não valorizar a obra de Deus, não respeitar o Reino de Deus retendo dízimos e ofertas! Esta é uma brecha muito grande, pois o próprio Deus toma a iniciativa de reter as bênçãos, reter as chuvas reter os negócios, reter os clientes, reter a força criativa e as forças para trabalhar, impedindo a prosperidade, como podemos ler no livro de Ageu 1:5-7, quando o povo de Deus prosperava muito, e aos poucos começou a deixar de cumprir com a sua obrigação de verdadeiros mordomos do Reino de Deus.
Ao prosperar, começaram a esfriar espiritualmente. Os prazeres satisfeitos aumentaram e com isso, também as dívidas aumentaram e a primeira saída foi reter dízimos e ofertas. Deus ouviu o clamor dos sacerdotes e levitas e através dos profetas, declarou ao povo que considerasse o passado, e atentasse na Sua Palavra, pois Deus estava fechando as janelas do céu.

2)  Pecado por não valorizar a Palavra de Deus

Em Provérbios 1:7, Salomão nos ensina que “O temor do Senhor é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino.”  Deixar de meditar na Palavra de Deus diariamente é uma brecha, que aparentemente, parece pequena, um pecado pequeno, mas que no longo prazo, se torna irreparável. Esta brecha é a que mais causa danos. Deixar de meditar na Palavra de Deus diariamente te expõe ao inimigo, pois você:
·      Vai para a batalha diária sem a Armadura de Deus como lemos em Efésios 6:10-20.
·      Não alimenta o homem espiritual com a Palavra e por isso não pode ter a mente de Cristo. É sempre bebê espiritual, vulnerável e imaturo. Não entende o que os pastores ensinam e às vezes até se revoltam, pois são homens naturais e não, espirituais. (1 Coríntios 2:6-16)
·      Deixa a natureza humana dominar sua vida, satisfazendo seus prazeres e concupiscências (Gálatas 5:16-25).
·      Atrai para si muitas maldições (Deuteronômio 28:15-68)
·      Não consegue resistir ao diabo (Tiago 4:7)
·      Não se achega a Deus, não purifica a sua vida, não se humilha na presença de Deus e, por consequência, Deus não se achega a essa pessoa e não a exalta ou abençoa como poderia. (Tiago 4:8-10).
·      Sufoca a Sua Fé, que enfraquece, adoece e morre por falta de nutrição. (Lucas 17:5-6)
Por estas brechas, muitas bênçãos são retidas por Deus, roubadas pelo inimigo, ou simplesmente, desperdiçadas por você mesmo! Fique em alerta máximo! Não perca nenhuma benção que você recebeu! Multiplique elas investindo no Reino. Abençoe elas trabalhando no Reino, Deposite elas na eternidade ganhando almas e falando do amor e da graça de Deus.
Seja sábio! Seja próspero em tudo! Seja bem-sucedido em tudo o que realizar (Salmo 1). Feliz 2020 cheio do Temor do Senhor, cheio da presença de Deus, cheio do Espírito de Deus!

Em Cristo,

Pr. Filipe Espindola

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Secularismo x Fé

“Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras. Nada tendes, porque não pedis; pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres. Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Tiago 4:2-4.

A Holanda (também como Países Baixos ou Netherlands) é um dos países mais secularizados do Oeste europeu, com 39% de sua população filiada a alguma religião. A religião nos Países Baixos é geralmente considerada uma questão de foro íntimo, que não deve ser propagada em público. 
Devido à falta de público, algumas igrejas têm sido transformadas em livrarias, cafés e casas de show. De acordo com a pesquisa da Eurobarômetro de 2010, 
·       28% dos cidadãos neerlandeses responderam que acreditam existir algum deus; 
·       39% responderam que acreditam que exista algum tipo de força e 
·       30% que não acreditam que exista nenhum tipo de força superior, deus ou nada espiritual. (fonte Wikipédia).

Os países baixos são conhecidos pelos valores tradicionais e virtudes civis, tais como a sua tolerância social, tendo se tornado conhecido por sua política liberal em relação à homossexualidade, drogas, prostituição, eutanásia e aborto.
É um dos países com melhor qualidade de vida do mundo, fator pelo qual possui um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano da Europa e do mundo, segmentado em sua forte política de assistência social e direitos considerados essenciais, como educação, saúde e segurança de qualidade, garantidos em nível máximo a seus habitantes. Os anos de 1960 e 1970 foram um momento de mudança social e cultural tão grande, como um rápido ontzuiling (literalmente: despilarização), termo que descreve a decadência das velhas divisões ao longo de classes e linhas religiosas. 

Jovens e estudantes em particular, rejeitaram os costumes tradicionais e impulsionaram uma forte mudança em temas como os direitos das mulheres, a sexualidade, o desarmamento e as questões ambientais. 
Atualmente, os Países Baixos são classificados como um país liberal, considerando a sua política de drogas e a legalização da eutanásia. Em 1 de abril de 2001, o país se tornou o primeiro do mundo a reconhecer o casamento homossexual. 
No contexto holandês, quanto maior foi o desenvolvimento humano, menor o desejo pelas coisas de Deus. Quanto maior a liberdade para o sexo, prostituição, as drogas, as opções homossexuais, o aborto e a eutanasia, maior a incredulidade, ou maior a falta de fé em um Deus superior e soberano. 
Corrie ten Boom, uma mulher que salvou milhares de judeus da matança dos exércitos alemães, viveu na contramão desta cultura liberal. Era crente fervorosa, discípula de Jesus Cristo e arriscou a sua própria vida em favor de um povo que não era o seu povo, mas era o povo de Deus, os judeus. Apesar de ser holandesa, em uma nação secularizada, incrédula, sem temor de Deus, mesmo assim, manteve seu testemunho, temor e fé, através da prática de obras que fortaleciam a sua fé, em um ambiente de guerra, de morte e de destruição, e ao entregar a sua vida, se colocando na mira do exército alemão, salvando milhares de judeus, amando-os como Jesus, cuidando deles como Jesus, e não se importando com a sua segurança, ganhou a sua vida. 
Ao passo que, milhares de holandeses nos dias de hoje, estão ganhando as suas vidas em IDH, em qualidade de vida, em conforto, em saúde, em felicidade, em comida e bebida, mas irão perder as suas vidas na eternidade sem Jesus Cristo e sem Deus. Fortaleça a sua fé! Aparentemente estamos em tempo de paz! Mas a guerra espiritual é intensa para deixar as pessoas à vontade, sem crise, sem problemas, sem fé. 
Se não acreditarmos que este mundo jaz no maligno e caminha para a destruição, também morreremos com ele, pois, a amizade do mundo é inimiga de Deus. Aquele que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus (Tiago 4:4).
Temos um caminho a trilhar e uma missão a cumprir. Não somos deste mundo, mas como peregrinos devemos viver, e ali, viveremos eternamente!
Em Cristo,

Pr. Filipe Espindola

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Disposto a sofrer ou disposto a fugir?

“Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora. Pai, glorifica o teu nome.” João 12:27-28a.

Nunca antes ouvimos falar de tantas pessoas ansiosas, aflitas, deprimidas e até tirando a própria vida. Talvez por causa das redes sociais as más notícias têm se proliferado tanto, mas o certo é que Jesus garantiu que “no mundo tereis aflições”. De um jeito ou de outro passaremos por aflições e angústias. Mas há uma grande diferença passar por aflições estando em Cristo, e passar por aflições sem Cristo, como fruto do próprio pecado.

Em João 12:25 Jesus afirma: Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna.” Odiar a sua vida neste mundo não significa querer tirar a própria vida, mas negar os prazeres e sua vontade egoísta, sua natureza pecaminosa. Aquele que fizer isso, vai preserva-la para a vida eterna.

Em Mateus 16:24-26 diz: Então, disse Jesus a seus discípulos: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á.  Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro, e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?

Buscar resolver o problema do vazio do coração tentando realizar e agradar a si mesmo só traz mais angústias. Muitas pessoas chegam aflitas na igreja, tentando resolver seus problemas. E quando percebem que seus problemas não se resolveram, abandonam a igreja falando mal dos pastores e líderes que não os ajudaram. Mas não souberam discernir a si mesmos, que ainda estão tentando ganhar a própria vida, e para isso não tem solução, a não ser tomar uma decisão de negar a si mesmos, o que ninguém poderá fazer por eles.

Em Lucas 17:33, Jesus diz: Quem quiser preservar a sua vida perdê-la-á; e quem a perder de fato a salvará.

A depressão, do ponto de vista espiritual, é o nível mais profundo de soberba na vida do ser humano, pois rejeita os fatos que se sucederam em sua vida. Ao rejeitar o seu estilo de vida, a sequência de fatos, as tristezas, as desventuras e sofrimentos, não se considera merecedor, mas injustiçado.

Ao invés de agradecer, murmura!
Ao invés de abençoar, amaldiçoa!
Ao invés de louvar a Deus, tem dó de si mesmo, culpando a Deus!
Ao invés de se humilhar, se ensoberbece!

E, neste processo, se aprofunda cada vez mais na areia movediça da depressão.

Por isso, é fundamental nos revestirmos da Palavra de Deus, que é perfeita e restaura a alma (Salmo 19).

Paulo afirma em 2 Coríntios 5:2: E, por isso, neste tabernáculo gememos aspirando por sermos revestidos da nossa habitação celestial. 

Precisamos viver nos lembrando e lembrando aos outros irmãos que aqui não é o nosso lugar de descanso e que teremos aflições. Se servirmos a Cristo, com o desejo de fazer a vontade Dele, para glorificar a Ele, seremos consolados pelo Espírito Santo. Se servirmos a nós mesmos, vamos perder a nossa vida e estaremos sem a consolação do Espírito Santo e a sua maravilhosa presença. Pedro queria impedir Jesus de ir para a cruz pois queria salvá-lo. E é exatamente esta postura que precisamos entender que o homem espiritual age diferente e pensa diferente, pois cogita das coisas do alto (Marcos 8:31-38).

Leia e medite nos seguintes textos: Salmos 116:3-4; 119:143; 5:1,2 e 5; Colossenses 1:24.

Em Cristo,

Pr. Filipe A. Espindola

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Jesus Vem! Maranata! Mas, cuidado!

“Então, o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram a encontrar-se com o noivo. Cinco dentre elas eram néscias, e cinco prudentes.” Mateus 25:1-2.

Jesus, o Verbo Eterno, habitou entre nós. Se fez carne, morreu na cruz injustamente, mas o fez por amor a nós. Se tornou maldição em nosso lugar, levou todos os nossos pecados e pagou uma dívida impagável. Foi ressuscitado ao terceiro dia e abriu o acesso à presença do Pai a todo aquele que o confessa como Senhor e Salvador.

Quando esteve no mundo, pregou esta mensagem: Arrependei-vos, pois, está próximo o Reino dos Céus!

Agora, depois de praticamente 2.000 anos destas pregações de Jesus e de muitas outras, vemos se cumprindo várias profecias bíblicas que falam do arrebatamento da Igreja! Precisamos nos preparar, mas além do preparo, tomar muito cuidado com as armadilhas do inimigo.

Sabemos que os nossos pecados foram perdoados, a morte foi vencida e o nosso inimigo, Satanás, foi derrotado! Mas ainda precisamos vencer o nosso maior inimigo, a cada dia, o nosso próprio EU! E o nosso inimigo nos conhece muito bem e sabe das nossas fraquezas e, assim como fez com Jesus, nos oferecerá várias oportunidades para satisfazermos a nossa vontade através de tentações que poderão nos levar, inclusive, à morte!

Por isso, devemos tomar alguns cuidados:

1)    Evite Julgamentos: Em Mateus 7:1-2 diz: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também.” Evite julgar pessoas (Tiago 4:11), autoridades instituídas por Deus! Devemos julgar tudo: situações, palavras, atitudes e, principalmente, a nós mesmos. Mas não julgue pessoas. Deus é o Juiz! Não queira sentar-se no lugar Dele.
2)    Não fale demais (Tiago 1:19) e evite andar com quem fala demais (Prov. 20:19) e, principalmente, fala mal dos outros.
3)    Teme a Deus e guarda os seus mandamentos. Em Eclesiastes 12:13 diz: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem.” Se isto é dever, não é opção para quem deseja entrar pelas portas das Bodas do Cordeiro e ser aceito por Deus. Vamos prestar contas a Deus de muitas coisas: do que fizemos, da forma como julgamos, da forma como perdoamos, de tudo o que falamos e, como as virgens prudentes, se formos prudentes, seremos cuidadosos em temer a Deus e observar cada um dos seus mandamentos.

Os néscios, os que são descuidados, despreparados, desatentos, não se importam com a fé, com o temor a Deus. Muitos levam na brincadeira. Mas naquele dia, como diz a Palavra haverá choro, pavor e lágrimas, como foi com Esaú, que tardiamente se arrependeu.

Prepare-se! O dia se aproxima! Ele vem! Jesus vem buscar a Sua amada Igreja! Espere Ele com vestes brancas, com atos de justiça do alto, com fé viva operosa e praticante, com obediência e submissão! Espere com amor, com desejo, com alegria, com vontade de estar com o noivo, ansiando por Ele como a corça suspira pelas correntes das águas. Ele é o noivo, nós somos a noiva. Jesus breve vem!

Em Cristo,

Pr. Filipe A. Espindola

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Doutrina: Um mapa para o caminho!

“Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido. Fiel é esta palavra e digna de inteira aceitação.” 1 Timóteo 4:6,9.

Desde a antiguidade, navegadores, viajantes, expedicionários, turistas e muitos outros, saem a caça de tesouros perdidos, mas para isso, sempre precisam de um mapa com dicas de qual direção seguir. Assim como existem mapas verdadeiros, existem os falsos. Há mapas com partes faltando e de nada adianta seguir rumo a um destino e no meio do caminho, descobrir que falta uma informação importante para o destino certo a ser seguido.

Da mesma forma, aqueles que um dia conheceram a Jesus e o confessaram como Senhor e Salvador, foram achados por Ele, a verdadeira luz do mundo. Nele, recebemos o perdão pelos nossos pecados e fomos confiados para executar uma missão, de sermos sal da terra, luz do mundo e levar muitos ao caminho da salvação, sem se perder pelo caminho e a própria alma. E o mapa do caminho a seguir é a Lei do Senhor, a Palavra de Deus!

Infelizmente, muitos interpretam a Palavra para a adequar aos seus caprichos, desejos, prazeres e satisfazer à sua alma em primeiro lugar, e se possível agradar a Deus. Muitos falsos mestres, falsos profetas, falsos pregadores e falsos pastores tem se levantado, pregando uma doutrina que não é a verdadeira. Muitos tem ido além daquilo que está escrito, inventando, confundindo a mente das pessoas, criando misticismo, envolvendo práticas de feitiçaria, bruxaria e idolatria com a doutrina bíblica, e nessa prática, enganado a muitas pessoas, inclusive com prática de milagres e curas, pois esquecem que o diabo também faz milagres, esquecem que Deus realiza curas e milagres através de falsos mestres e falsos profetas, mas que necessariamente, não se agrada de suas vidas e um dia, serão rejeitados pela vida pecaminosa que tiveram, mesmo pregando a Palavra e curando enfermos.

Mas porque vamos nos arriscar seguindo falsos mestres e falsos profetas? Por que deveríamos seguir pessoas com unção de cura e milagres? Só para receber a benção?

Paulo alertou ao seu discípulo Timóteo que havia muitos falsos mestres e falsos profetas ensinando coisas que o próprio Paulo nunca havia ensinado ou recebido de seus pais espirituais.

Paulo diz a Timóteo em 2 Tímoteo 4:2-4, que ele deveria pregar a palavra, com instância, em qualquer situação, sendo oportuno ou não, corrigindo, repreendendo, exortando com toda a longanimidade e doutrina. E Paulo alerta: “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina: pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.”

A palavra doutrina significa: um conjunto coerente de ideias fundamentais a serem transmitidas e ensinadas. E é exatamente isso que o nosso Deus revelou a Moisés lá no monte Sinai: A Lei de Deus. Sabemos que a Lei do Senhor é perfeita e restaura a alma. Sabemos que a Palavra do Senhor é Lâmpada para os pés e luz para os nossos caminhos. Mas muitas pessoas rejeitam essa Lei quando são confrontados com o pecado.

A mensagem da cruz, que Jesus nos ensinou, exige arrependimento e mudança, exige correção de rumo constante ao longo da vida, cada dia, dia a dia negando a si mesmos, tomando a sua cruz e seguindo o exemplo de Jesus ao fazer morrer a natureza terrena.

Se o evangelho que você escuta não te confronta, mas apenas te agrada, apenas te oferece benefícios, apenas te oferece prosperidade e cura: tome cuidado! Esta doutrina está corrompida, está pela metade! Parece verdadeira, mas é falsa. É como um mapa do tesouro rasgado: faltam partes muito importantes.

Mas se a mensagem que você escuta aponta para Jesus Cristo, te chama ao arrependimento e te leva a depender de Jesus para vencer sua natureza terrena e pecaminosa, te leva a praticar a justiça que vem do alto, te leva a observar com cuidado a Palavra de Deus, então, você está com o mapa completo, com uma interpretação sã do caminho verdadeiro, da boa doutrina e o seu destino é vencedor. Apegue-se à boa e sã doutrina! Porque a falsa te leva à perdição!

Em Cristo,

Pr. Filipe A. Espindola

terça-feira, 16 de julho de 2019

Amigo, quem é amigo?

“O meu servo Jó orará por vocês, e eu aceitarei a intercessão dele, para que eu não os trate segundo a falta de juízo de vocês. Porque vocês não falaram a meu respeito o que é reto, como o meu servo Jó falou.” Jó 42:8

Quantos amigos você tem? Não estou falando do número de amigos das redes sociais. Quantos amigos você tem? De verdade! Que jamais irão te abandonar, falar mal de você, independentemente dos seus erros ou palavras? Que jamais irão esquecer de toda a história juntos? Quantos amigos de verdade você tem?

Jó era riquíssimo e, consequentemente, tinha muitos amigos. Mas Jó perdeu tudo, e muitos o abandonaram e os seus poucos amigos que restaram o acusaram de muitos pecados e ainda falaram mal de Deus!

Quando estamos em época de prosperidade, de alegria, muitas pessoas se aproximam, querem andar com você, aprender com você, comer com você. Mas quando a tempestade vem, a maioria vai embora.

Há um provérbio inglês que diz: “Não há pior inimigo do que um falso amigo.”

No pastorado, já ví pastores cuidando de pessoas durante 20, 30, 40 anos, e depois de todo o cuidado para com a pessoa, ser difamado e abandonado por ela. Uma das coisas que as pessoas não se dão por conta é que querem ser ovelhas para serem salvas, mas se tornam juízes para com seu pastor, cometendo um pecado sério de julgamento, traição, insubmissão e rejeição a Deus, quando difama e abandona o seu pastor.

Na verdade, quando difama e abandona o seu pastor, difama e abandona a Deus. E foi justamente isso, que os amigos de Jó fizeram e foram duramente disciplinados por Deus. E a única forma deles alcançarem misericórdia, não seria da parte de Deus, mas da parte de Jó, se este orasse pelos seus amigos. E foi o que Jó fez, pois tinha um coração humilde e sincero.

No outono, é comum encontrarmos folhas secas caídas no chão. Assim falsos amigos são encontrados em toda parte.

Também, no pastorado, encontro pessoas sinceras, verdadeiramente amigas, que foram e são cuidadas por mim, que conhecem a minha história, as minhas vitórias, testemunho de vida, dons, habilidades, mas também, as minhas limitações, erros, pecados, lutas e dificuldades; e nem por isso, me abandonaram, me difamaram, ou foram falsas comigo.

Alguns dizem que a falsidade é um problema de caráter. A Bíblia diz que os inimigos do homem são os da sua própria casa! O fato é que se Jesus foi rejeitado e abandonado pelos seus, não podemos esperar demais das pessoas, não podemos colocar uma expectativa alta nelas, sabendo que todos somos pecadores.

Mas sonhar que elas serão perfeitas como Jesus é o nosso dever. E se encontrarmos falhas nelas, caminhar mais uma milha, e mais uma, e mais uma...
Mas julgá-las e condená-las é um grande pecado! Pastores não podem julgar ovelhas, apenas cuidá-las, se elas são de fato, ovelhas, se permitirem serem cuidadas pelo seu pastor.

Da mesma forma, como ovelhas, pessoas não devem julgar outras pessoas, inclusive pastores, pois se fizerem isso, não são, de fato, ovelhas. Só Deus é Juiz!

Amigos de verdade, falam olhos nos olhos, falam a verdade, com sinceridade, mesmo quando não te agrada. Amigos que não se importam, bajuladores: fuja deles!

A igreja é a família da fé! Família deve ser um local de intimidade! Quando a igreja deixa de ter vínculo de intimidade, para apenas vínculos de interesse, deixa de ser família. Os meus verdadeiros amigos, são aqueles que amam e obedecem a Jesus e com diligência, obedecem à sua Palavra.

Quantos amigos você tem?

Em Cristo,

Pr. Filipe A. Espindola