sábado, 4 de fevereiro de 2012

O ESQUECIMENTO DO TRABALHO DO ESPÍRITO SANTO

O ESQUECIMENTO DO TRABALHO DO ESPÍRITO SANTO

Uma vez, quando eu era menino, meu pai me colocou no colo e o ajudei a guardar o carro na garagem. Quando terminou, eu achei que estava pronto para dirigir sozinho.

Hoje, achamos que podemos dirigir a igreja...sozinhos. Mesmo conhecendo o texto que diz que vemos obscuramente, conhecemos em parte (1 Coríntios 13), mesmo sabendo que sem Ele nada podemos fazer (João 15), ainda assim, queremos dirigir a igreja...sozinhos.

Montamos um sistema, enquadramos os membros no sistema e apenas administramos, aplicando técnicas de gestão, usando a psicologia, neuro-linguística, auto-ajuda, consultando autores que usam a Bíblia como exemplo, mas que muitas vezes são espíritas, gnósticos, ateus e de várias correntes filosóficas.

Então, para que depender do trabalho do Espírito Santo? Não há tempo para buscar a sua presença com tantos relatórios, estatísticas, censo para saber o crescimento no número de membros e tantas atividades que não tem nada a ver com a função de pastorear o rebanho.

Em resposta à pergunta de Gálatas 3:3, nós somos bem razoáveis neste ponto em termos teóricos, mas somos todos hereges e sem razão em termos práticos.

Quando o Espírito de auto-confiança cresce no coração, impede que sintamos a necessidade absoluta do Espírito Santo.

Spurgeon disse:  Enquanto pregador, eu posso dizer a vocês que o Espírito Santo deve realizar todo o seu trabalho em nós, e que sem ele, nós nada podemos fazer e mesmo assim, enquanto homem, me vejo tentado a negar a minha própria pregação, não em minhas palavras, mas negá-las de fato ao tentar agir sem olhar primeiro para o Espírito Santo.

Estou espantado de ver pessoas tão bem instruídas na doutrina da graça e nas verdades da nova aliança que chego a me gabar e me gloriar disso em nome de Jesus. Doutrinas que outros debocham por serem profundos pontos doutrinários, estes novos crentes aceitam facilmente, crêem e se alegram. Mas descubro, contudo, que a grande deficiência é justamente esta: O esquecimento do trabalho do Espírito Santo.

Se uma casa é construída para oração, nenhum homem deve esperar uma benção se negar a pisar no seu chão. Se um púlpito é erigido para o ministério da palavra, nenhum homem deve esperar ser salvo a não ser ouvindo a Palavra de Deus.

Ter a Palavra em nossa linguagem é uma benção e um meio da graça; Abençoado é o povo que é abençoado pela graça, mas amigos, ninguém jamais foi salvo, apenas por meio da graça, separada do Espírito Santo.

Você pode ler livros de homens cheios do Espírito Santo ou ouvir mensagens de pregadores com dobrada unção do Espírito, você pode ir a todas as reuniões de oração, você pode folhear as páginas da bíblia com freqüência, mas em tudo isto não há vida sem o sopro do Espírito Santo.

Não é uma pequena ofensa contra Deus quando qualquer homem se chama um sacerdote. Todos os santos tem um ofício sacerdotal em Cristo Jesus, mas quando um homem afirma a idéia de que ele tem um chamado que o eleva acima de seu próximo, e se auto denomina um sacerdote entre os homens, ele comete um pecado contra Deus. Mesmo que peque na ignorância, mesmo assim é um grande pecado, com terríveis conseqüências que levam muitos ao erro mortal.

A razão pela qual nenhum homem jamais começou o trabalho da graça em seu próprio coração é muito aparente: primeiro, porque não pode; segundo porque não o fará. O melhor motivo de todos é porque não pode; ele está morto. O morto pode ser reavivado, mas o morto não pode se fazer vivo, pois o morto não pode fazer nada.

É certo que nenhum homem pode, e nunca poderá salvar a si mesmo, sendo, por um lado, totalmente impotente e morto, e por outro lado totalmente depravado e contrariado, odiando a mudança quando a vê nos outros, e acima de tudo, desprezando a mudança em si mesmo. Esteja certo, que Deus, o Espírito Santo deve começar o trabalho, já que ninguém mais poderá.

Não sabemos o que vem primeiro: Arrependimento ou a fé. O Espírito regenera a alma. Um homem pode se converter muitas vezes durante a sua vida, mas regenerado apenas uma. A conversão é causada pela regeneração, mas a regeneração é o primeiro ato do Espírito Santo na alma.

Antes que qualquer homem possa enxergar sua necessidade de um salvador, ele precisa ser um homem vivo ou regenerado. Antes que ele possa entender, do ponto de vista espiritual, a sua própria depravação, ele precisa ter olhos com os quais ele possa ver a sua depravação. Precisa ouvidos com os quais ele possa ouvir a sentença da lei. Ele precisa ser tocado e avivado. Caso contrário, ele não será capaz de sentir, ver ou discernir nada que seja espiritual. (João 3:8)

Como um exercício mental, o pecador pode pensar sobre os pensamentos de Deus e ter alguns desejos por Ele, mas o pecador não pode ter um pensamento espiritual ou um desejo espiritual, porque ele não tem  poderes para extrair estas coisas. Mas agora, na regeneração, ele tem algo dado a ele, e tendo sido dado, rapidamente se vê os seus efeitos. O homem começa a sentir que é um pecador. Porque ele não sentiu antes? Ah, meu irmão, ele não podia.

Lembre-se: Nós precisamos do Espírito Santo. É ele quem convence o pecador, não os nossos argumentos.

No amor do mestre,

Filipe A. Espindola

E-mail: espindola.filipe@gmail.com

Blog: http://filipeespindola.blogspot.com/