sexta-feira, 29 de maio de 2015

Olhos, pensamentos e palavras?

Trabalho missionário em Faxinal, cuidando da Igreja do Senhor!

Olhos, pensamentos e palavras?

"São os teus olhos a lâmpada do teu corpo; se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; mas, se forem maus, o teu corpo ficará em trevas. Repara, pois, que a luz que há em ti não sejam trevas. Se, portanto, todo o teu corpo for luminoso, sem ter qualquer parte em trevas, será todo resplandecente como a candeia quando te ilumina em plena luz.” Lucas 11:34-36
Se você vive em uma cidade com acesso à televisão, internet, jornais e revistas, smartphones e tablets, você está sendo atacado intensamente pelas forças malignas através dos seus olhos e ouvidos, o que produzirá pensamentos, que frutificarão em palavras e atitudes. Por isso a pergunta: São bons? Os teus olhos, pensamentos e atitudes são bons? Há luz?
Levando em consideração que o mundo jaz no maligno e que grande parte dos meios de comunicação trabalha para disseminar o pecado e torná-lo como se fosse algo normal e amplamente praticado no meio da sociedade, precisamos resistir, ajudar outros a resistir e guardar a nós mesmos de nos acostumarmos com a cultura deste século.
Somos discípulos de Jesus. O discípulo deve ser como seu Senhor, que procurava sempre agradar o Pai, e evitou qualquer prática de pecado e muito mais do que isso, evitou a aparência do mal. Precisamos fazer a oração do Salmo 119:37 que diz: “Desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.”
A minha vida precisa resplandecer mais, sem ter qualquer parte em trevas, ou seja, evitar maus pensamentos, evitar imagens, evitar palavras, evitar suposições ou sugestões malignas, que possam abrir brechas para as trevas. E tenho feito esta pergunta. Será que estou resplandecendo? Será que estou brilhando como deveria?
Muitos olham para as pessoas que prosperam praticando o mal e desejam ser e ter o que eles tem e são. Revistas, blogs e sites de personalidades famosas mostram a riqueza, os eventos chiques, os carros potentes, o corpo malhado e bem exposto. Mas o Salmo 73 nos adverte contra estas coisas. Não podemos invejar os arrogantes nem a sua prosperidade. Parece que eles não tem preocupações e o seu corpo é sadio, saudável e bem descansado. Veja o que diz o Salmo 73:4-7:
            “Para eles não há preocupações, o seu corpo é sadio e nédio. Não partilham das canseiras dos mortais, nem são afligidos como os outros homens. Daí, a soberba que os cinge como um colar, e a violência que os envolve como manto. Os olhos saltam-lhes da gordura; do coração brotam-lhes fantasias.”
Impressionante! Parece que este texto foi escrito depois da última edição das revistas nas bancas hoje. Parece que o autor passeou pelas redes sociais há alguns minutos.
E este é o grande problema: a soberba! Ela vai se infiltrando através de nossos desejos e aspirações pelo mais belo, mais rico, mais sensual, mais atrativo e nem percebemos que estamos escurecendo o nosso corpo, trazendo trevas, e trevas tais que nos cega a ponto de acharmos que pode haver luz em meio a trevas.
Falando de mim, sinto que preciso me afligir mais, não por aquilo que não posso comprar, não por causa dos problemas diários que surgem ou de perseguições. Preciso me afligir com relação à minha intimidade com Deus, com relação à minha comunhão com o Espírito de Deus. Assim como o salmista diz no Salmo 88:1,8: “Ó Senhor, Deus da minha salvação, dia e noite clamo diante de ti. Os meus olhos desfalecem de aflição; dia após dia, venho clamando a ti, Senhor, e te levanto as minhas mãos.” A busca por Deus, por agradar a Deus, não deve ser apenas uma poesia cantada nas igrejas, ouvida nos smartphones e headphones, mas, praticada e levada a sério a cada momento, cada lugar, cada hora do dia.
A escuridão tomou conta do mundo, mas não pode tomar conta de mim que fui regenerado pelo Espírito Santo, vivificado pelo sangue de Jesus Cristo e transportado para o Seu Reino.
É mandatório que fechemos os olhos para as coisas que se vêem, e que possamos abrir os olhos para as coisas que não se vêem (2 Coríntios 4:18). Sem o filtro nos olhos e ouvidos, os nossos pensamentos e atitudes serão maus, descontroladamente. Quer pensamentos bons? Pense em coisas boas, amáveis, verdadeiras, justas, eternas, virtuosas (Filipenses 4:8). Mas como ter tais pensamentos sem o devido cuidado com os olhos, evitando as más companhias, a sensualidade, os vícios, as práticas nocivas à saúde e à alma?

Acordemos! De Deus não se zomba!