quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Pr. Enéas Tognini, influência na minha vida com sal e luz!

Grande homem de Deus, discipulador pessoal do meu pai, Pr. Samuel Espindola,  evangelista incansável no Rio Grande do Sul, praticamente morou em nossa casa na minha Infância,  exercendo grande influência no meu crescimento, e porque não dizer, no meu ministério. Certa vez, ao visitá-lo em São Paulo,  ele me levou ao seu gabinete e me deu um livro antigo de presente(foto abaixo) e me deu um recado: Prega a Palavra, sem desvios, sem atalhos e seja fiel à Palavra. Agradeço a Deus por ter a oportunidade de ter o Pr. Enéas em nossas vidas. Que o Senhor console a irmã Élia, suas filhas, Dinéia, Noemi Tognini Sampaio,  seus netos e genros. Para mim, Pr. Stbn Enéas Tognini foi mais do que um avô, por assim considerá-lo, foi um pai espiritual. Exemplo de simplicidade, humildade e discípulo de Jesus.

Escreveu muitos livros, serviu como reitor de seminário,  fundou a Igreja Batista do Povo, e muitas outras coisas poderiam ser escritas,  mas o que mais me marcou foram pequenos momentos que tive com ele, como, por exemplo, um dia em que eu e a Arlete estávamos visitando-o em São Paulo, na sua casa, e ele veio da cozinha com uma laranja na mão, começou a coratá-la e colocou um pedaço na minha boca e também deu para a Arlete. Jamais esquecerei cada momento, cada sorriso, cada pregação.  Ainda guardo com carinho alguns discos de vinil do Programa Hora da Oportunidade gravados pelo Pr. Enéas. Foi com este programa Hora da Oportunidade,  que o Pr, Samuel deu sequência no Estado do Rio Grande do Sul, pregando em mais de 10 rádios por mais de 35 anos.

Assisti e presenciei, como criança, enquanto viajava no banco de trás do carro, várias conversas do Pr. Samuel e Enéas sentados na frente. Nunca escutei piadas, conversas sobre futebol, murmuração por termos que dormir no chão na casa de irmãos,  ou por não termos janta na casa dos irmãos. Tudo o que eu ouvia era sobre o Reino, sobre a pregação do evangelho, sobre a libertação das almas do inferno.  A ostentação nunca fez parte de nossas viagens evangelísticas. Não havia exigências,  apenas o desejo de ir para a próxima cidade continuar pregando.

Uma vez, Pr. Enéas me pediu para cuidar seus livros enquanto pregava num estádio. Fiquei no stand e vendi alguns livros. Eu era criança,  tinha ums 12 anos de idade.  Quando ele chegou e viu que eu estava vendendo direitinho, apertou os meus ombros e disse: Se alguém não puder comprar pode dar um desconto de 20%, pois meu objetivo é abençoar e edificar. Alguns anos depois, fiquei sabendo que ele vendia os livros a preço de custo. E ainda dava desconto de 20%. Que coração. 

Toda vez que o carro se aproximava de uma montanha o Pr. Enéas anunciava: Olha a lomba, Filipe. Ele dizia que eu gostava de subir e descer lombas.

São memórias de momentos que, talvez,  para muitos não tenha valor, mas um homem de Deus na minha vida, transformou a minha história e ele deixou um discipulo chamado, Samuel Espindola, que até hoje, com 83 anos ainda é o meu discipulador,. Glória a Deus. Que possamos seguir este exemplo. Obrigado, Pr. Enéas, obrigado, Senhor pelo Pr. Enéas.